gêmeos

Sob o signo da distração

Talvez você não saiba, mas os doze trabalhos de Hércules podem ser associados aos doze signos do zodíaco. Eu mesmo só descobri isso agora, quando tinha coisa mais importante para fazer e inventei de ficar fuçando a internet ao invés disso. Áries, por exemplo, é associado à lição aprendida durante a captura das éguas furiosas de Diomedes: após reunir algumas delas, e na pressa para terminar logo o trabalho, o herói deixa as éguas capturadas aos cuidados do amigo Abderis, que nem de longe tem as mesmas qualidades hercúleas, e acaba devorado impiedosamente. Hércules não chega a se abalar muito com o episódio, mas está claro que o trabalho não é um completo sucesso. Nota mental para arianes: não deixar bestas famintas aos cuidados do amigo.

Mas a história que realmente chamou minha atenção e me fez parar para contar o caso foi a de Gêmeos. Trata-se do trabalho em que Hércules precisa colher umas tais famosas maçãs de ouro das Hespérides. Não me perguntem o que é Hespéride, porque não faço ideia, e pra mim já deu de catar conhecimentos aleatórios por hoje; o fato é que, comparado às demais tarefas, essa parece bem mais fácil, a tal ponto de Hércules (de hábito eficaz e intransigente em seus esforços) acaba parando no caminho, voltando-se para as distrações que aparecem. Numa dessas, ele encontra Atlas, que já não aguenta mais segurar o mundo nas costas e lhe pede uma forcinha. Hércules presta socorro, e no final das contas é Atlas que vai colher as maçãs para ele, num trabalho que se revela mais complicado do que ele tinha previsto. Sozinho ele não teria conseguido.

Moral da história: a procrastinação compensa. Se você tem algo de importante para fazer pela frente, pode ser fundamental que você se deixe distrair com outros assuntos, para descobrir – ainda que sem querer – os instrumentos e informações necessárias à realização do trabalho. Notem, aliás, que Gêmeos é o signo oposto complementar de Sagitário (a flecha que vai direto ao ponto), e vive meio que arquetipicamente às turras com Capricórnio (que quer ver as coisas todas feitas de uma vez). Porém – e isso vale especialmente para capricorninianes – a procrastinação é uma arte, e, como tal, deve ser praticada por amor e com autêntico desinteresse. Não vale adiar as tarefas e ficar procurando aqui e ali as distrações que serão mais úteis; só aquelas praticadas com genuína negligência pelos resultados serão recompensadas.

Tem também o fato, é claro, de que, se você parou para ajudar o amigo, aumentam as chances de retribuição. Mas, se não me engano – e, em se tratando de Gêmeos, aumentam as possibilidades –, o Hércules da lenda parou para ver o que estava acontecendo e saiu do seu caminho mais por curiosidade mesmo. Foi isso que teve efeito, e não a disposição piedosa, o cuidado solidário, a preocupação com o destino do mundo. Existe um valor intrínseco na dispersão, um atributo característico da multiplicação de objetivos secundários, assim como  existe uma virtude própria em todas essas abas abertas no navegador da internet. Como diz a canção: navegar é preciso, viver nem é.

Portanto, se você parou o que estava fazendo para ler esse texto, isso não quer dizer que o universo vai te recompensar com uma ajudinha a mais nos serviços que deixou para depois. Mas quer dizer, sim, que você está exercendo uma qualidade humana cuja importância não podemos quantificar. Vai saber: quem garante que Hamlet não teria sido poupado daquela desgraça toda se tivesse adiado só um pouquinho mais sua vingança, descobrindo que Fortimbrás estava com suas tropas às portas no reino da Dinamarca? E Romeu e Julieta, então – não é certo que um pouquinho menos de foco naquele negócio de se matar poderia ter encaminhado a história para outro desfecho?

Mas reconheçamos que, com isso, a humanidade teria sido privada de algumas de suas mais belas tragédias. E, se entendemos que Gêmeos poderia evitá-las, é porque Gêmeos, de fato, não é um signo trágico. Mas isso não quer dizer que não seja épico. Vale lembrar algo que o crítico literário Georg Lukács afirmou sobre os heróis das epopeias: para eles, o problema não é decidir o quê fazer, mas descobrir se terão força, coragem e habilidades necessárias para realizar suas tarefas. De modo que podemos agora acrescentar: se terão as capacidades hesitantes, o caráter meio desatento, o gosto pela cultura inútil e a inclinação a dar trela para distrações no meio da tarde que só os grandes heróis possuem nos momentos decisivos. Na hora H, é válido dar aquela olhadinha nas redes sociais ao invés de enfrentar o próximo serviço que temos pela frente. No que se refere aos doze trabalhos de Hércules, pelo menos, podemos afirmar com somente contando com essas virtudes eles vieram a ser concluídos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.