gêmeos

Igual Gêmeos na chuva

Harold Perrineau / Romeu + Julieta (1996)

Caía uma chuva estrondosa no Rio de Janeiro. Sou diretor de uma unidade de ensino, e nessas horas faz parte do meu trabalho trocar informações para decidir sobre uma possível suspensão das aulas e outras atividades. Em dias assim, é muita gente ansiosa por notícias, muita gente que precisa ser consultada, muita gente que precisa ser avisada, e é muita informação que circula também. Claro que isso está longe de ser uma das grandes encrencas que um temporal causa, mas para mim a situação é motivo de certo desespero, o suficiente para querer chutar o balde e jogar o celular pela janela.

Tenho Mercúrio em Capricórnio; minhas comunicações cotidianas são pragmáticas. Então, parte do meu transtorno está na quantidade de informação inútil que chega nessas horas. Em meio ao caos, o que não falta são mensagens de whatsapp que não passam de interjeições soltas no vácuo, postagens em que sou marcado com a melhor das intenções e a mais completa falta de noção, comentários interessantes que posso muito bem deixar para responder daqui a uns três anos (normalmente, além de pragmático, sou lento). Lógico que nem todo mundo precisa saber o tipo de informação que quero/preciso e que estou no meio desse pequeno perrengue particular. Mas, às vezes, justamente as pessoas que sabem são as que oferecem mais motivos para minha exasperação.

A Lua estava em Gêmeos. Marte estava em Gêmeos. E, se você for parar pra pensar, isso de compartilhar informações e trocar mensagens sem motivo pragmático nenhum, isso é uma coisa muito geminiana. De modo que de repente me vi praguejando contra todas as gerações de geminianos desde Hermes Trimegisto: p***, Gêmeos, me deixa concentrar no meu trabalho! O mundo tá caindo e você aí me passando correntes e memes e piadas! Ou, mesmo quando tá passando notícias: dá um tempo, Gêmeos, eu sei usar o Google! Conclusão: Gêmeos, a princípio, é o último signo que você quer por perto em meio a uma catástrofe.

Nessas horas a gente precisa de Áries, Touro, Escorpião. Ou mesmo Câncer, para dar um pouco de calor humano, e Virgem, para organizar a distribuição de mantimentos. Mas Gêmeos? Pra quê Gêmeos? Tudo bem que nessas horas a gente precisa de informação, mas em tese é de informação com foco, informação com motivo, e nesse caso Sagitário dá conta do recado. Quer dizer, em tese, né. Porque, me peguei pensando logo depois, às vezes tudo o que a gente precisa é de uma informação que chega sem foco e sem motivo nenhum. Às vezes , em meio à catástrofe, tudo o que a gente precisa é dos geminianos.

Não estou dizendo que a gente precisa de uma distração, de um desvio, de uma fofoca. Estou dizendo que as informações mais úteis que chegam até nós nessas horas podem ser aquelas que alguém saiu distribuindo sem nenhuma intenção específica, simplesmente porque é da natureza da pessoa distribuir informação. Naquela ocasião mesmo o que acabou fazendo realmente diferença pra mim (para decidir suspender as aulas) foi uma notícia que alguém compartilhou não exatamente tentando me ajudar, mas porque a pessoa sai compartilhando tudo quanto é tipo de notícia, das mais irrisórias às mais sérias. A que me ajudou estava entre as irrisórias. Quando a gente pensa em episódios como essas chuvas torrenciais que às vezes caem no Rio, fica fácil imaginar como se dá esse processo.

Em momentos assim, as pessoas saem divulgando todo e qualquer pedacinho de conhecimento da situação que tenham, saem falando igual Gêmeos na chuva, sem que saibam exatamente qual pedacinho vai servir pra quem. Mas o que salva a vida de uma pessoa é muitas vezes um pedacinho desses. O arquétipo de Gêmeos, portanto, mesmo que não saiba exatamente o que fazer diante da terra devastada, pode muito bem ser aquele que evita uma devastação maior, e sem querer querendo vai nos guiando no meio da bagunça, às vezes totalmente sem querer mesmo – inclusive através de uma distração, de um desvio, de uma fofoca.

Eu fico pensando. Romeu e Julieta, por exemplo. É uma tragédia, mas será que seria uma tragédia se tivéssemos um geminiano no elenco? Se tivesse alguém pra espalhar por lá a notícia de que a Julieta não ia se matar coisa nenhuma, de que ela ia estar só sob o efeito temporário de um remédio, de que tinha armado aquele teatro para que os dois pudessem ficar juntos? O problema é que ficaram dependendo daquele padre pra dar a notícia. Faltou alguém para dar uma fofocada mesmo, falar por falar, sair por aí contando o esquema. Quem sabe assim a história do plano não teria chegado ao Romeu, e só pro Romeu mesmo, não pros seus inimigos, por uma misteriosa concatenação de forças?

Parte da beleza de Gêmeos está aí: ele não controla a informação que distribui, fica contente em distribuí-la sem maiores propósitos e intenções. E o mundo se quiser pode muito bem fazer com que isso tenha bons resultados. Na peça, é claro, a tristeza é que Mercutio, seu personagem mercurial, morre logo no começo. Enfim, há tragédias que acabam acontecendo simplesmente porque os geminianos saem de cena. Por favor, queridos/as: continuem aí.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.